CADEIAS DE SUPRIMENTOS GLOBAIS

CADEIAS DE SUPRIMENTOS GLOBAIS

SCM surgiu como um modelo competitivo e gerencial de abordagem sistêmica e integrada como consequência natural da competição entre cadeias, um passo seguinte ao modelo de competição entre empresas. Com isso, ocorreu um ponto de convergência entre quatro áreas tradicionais da gestão:

  • Logística
  • Gestão de Operações/Produção
  • Compras
  • Marketing

Com a evolução do conceito de SCM, as empresas passaram a rever os relacionamentos com parceiros, com fornecedores e com canais de distribuição dentro das cadeias em que atuam, o que trouxe uma evolução na gestão, antes eminentemente interna, para uma perspectiva estendida e que engloba o conjunto de relacionamentos e processos chave, desde a fonte de matéria-prima até o produto final ofertado ao cliente.

Como não poderia deixar de ser, esta evolução também é vista no Brasil, principalmente nos setores industriais ligados ao mercado internacional, como automotivo, eletroeletrônico e agronegócio.

Já há algum tempo a cadeia de suprimentos não vê fronteiras entre países. Na medida em que a cadeia de suprimentos global se torna mais complexa, as empresas têm de se adaptar, buscando fornecedores em outros países. SCM Global envolve uma complexidade ainda maior em termos de sincronismo e cooperação nas atividades entre os participantes da cadeia, assim como uma rede de informações e comunicação ainda muito mais complexa. Para Vollman e Cordon (1999), processos chave para o sucesso de uma SCM são:

  • Reestruturação e consolidação, tanto da quantidade de fornecedores quanto de clientes
  • Divisão de informações e integração da infraestrutura com clientes e fornecedores
  • Desenvolvimento conjunto e integrado de produtos
  • Considerações logísticas já na fase de desenvolvimento dos produtos
  • Integração das estratégias competitivas em toda a cadeia produtiva

Com isso, o Outsourcing, confundido ainda por alguns com conceito de terceirização ou sub-contratação, significa essencialmente a opção por uma relação de parceria estratégica com fornecedores (e até mesmo clientes) da cadeia produtiva. Outsourcing vem se tornando cada vez mais importante para o Supply Chain, embora ainda negligenciado, sendo ainda visto não como uma estratégia, mas como uma simples ferramenta de corte de custos. Assim, na esteira de estratégia de Outsourcing, e com a globalização acirrada e sem limites, as empresas de importação e exportação começaram a proliferar. São exemplos as empresas de gerenciamento de exportação, que oferecem serviços para empresas sem experiência em exportação, como se a empresa tivesse um departamento de exportação interno. Tais empresas de gerenciamento de exportação lidam com documentos de exportação e operam como agentes da empresa no mercado externo, incluindo a operação de departamentos de vendas (marketing, processamento de pedidos, faturamento, etc).

Esses fatores estão forçando as empresas de importação e exportação a alavancar o uso de soluções de gerenciamento da cadeia de suprimentos. As soluções de gerenciamento da cadeia de suprimentos fornecem uma visibilidade mais significativa das capacidades do fornecedor, status do contrato e experiência operacional. Essas soluções também facilitam controles mais rígidos de gastos com aquisições e monitoramento de conformidade em toda a cadeia de suprimentos.

As cadeias de suprimentos estão absorvendo um volume substancial de negócios internacionais, o que significa que as empresas precisam considerar como podem se beneficiar ou ingressar nessas cadeias. Com efeito, as cadeias de suprimentos permitem que os exportadores cresçam, ampliem seus negócios e diversifiquem sua base de clientes, o que é especialmente importante na atual economia, globalizada e volátil.

REFERÊNCIAS

Deixe uma resposta